quinta-feira, 29 de novembro de 2018

Então, tem esse cara...


Ninguém prometeu nada, mas a boca dele é tão boa de beijar
E o jeito que ele sorri é tão iluminado
(não existe outra palavra possível para descrever aquele sorriso)
que parece que os olhos dele sorriem junto

Tem esse cara que me manda os melhores memes da internet
(como alguém pode fazer uma seleção tão apurada de memes?)
E que embarca de um jeito louco nas perguntas loucas que eu faço
- que às vezes eu elaboro perguntas bizarras já pensando nas respostas dele

Eu só sei mandar "hahahahahahaahahh" e "rsrsrsrsrsrsrsrsr" e "kkkkkkkkkkkkk"
Pessoalmente, eu até tento explicar que eu rio de verdade nas conversas
Mas ele é tão"ok risos" que eu fico sem graça de confessar que, na verdade, eu gargalho
Ele manda qualquer coisa engraçada e eu gargalho. EU. GARGALHO. ALTO.

Enfim, tem esse cara que surgiu na minha vida por caminhos pós-modernos
E que fala todo dia comigo há alguns meses sobre qualquer coisa mesmo
De fato, ele existe, porque a gente já se encontrou algumas vezes
(mas confesso que cheguei a cogitar que a existência dele se resumia a mistérios da programação)

Então, tem esse cara fora da caixinha - ou dentro da caixinha, mas que faz a caixinha ser legal pacas
Esse cara cuja lembrança é quase um calmante em meio a rotina agitada que eu tenho no trabalho
E que não precisa fazer nada demais, nada mesmo
Pra me inspirar a escrever sobre como ele é um carinha bem legal

quinta-feira, 19 de julho de 2018

O que aprendi saindo com caras portugueses

Prepare-se para o espanto porque ele pode vir

Um dos grandes aprendizados do meu intercâmbio em Portugal foi constatar como a arte do flerte muda bruscamente lá do outro lado do Atlântico. Na terrinha, as coisas são bem diferentes de como são aqui no Brasil, só que eu não imaginava que fossem tão diferentes assim.

A seguir estão algumas das minhas ~constatações~ sobre como é sair com caras portugueses - constatações essas baseadas em alguns encontros bem sucedidos.

1) Eles amam vinho


É questão de tempo até eles admitirem de forma espontânea serem adeptos dessa que pode ser descrita como uma paixão nacional. Eles também são capazes de incluir o tema na conversa de forma tão natural que, quando você percebe, já recebeu várias dicas de quais vinhos você precisa beber nesse instante, agora, corre pra comprar.

2) Eles te chamam pra um café

Se eles gostam de você (e aqui é um gostar bem particular porque na maioria das vezes nem rolou conversa direito pra detectar a tal da compatibilidade), é certeza que eles vão te chamar pra um café.

Parece que eles não têm receio de tomar iniciativa nessa hora, mas o café é realmente apenas um café, só que com conversa. Não vai ter a famigerada "segunda intenção" apesar desse convite parecer precipitado. 

Eles se mantém na deles, não avançam, não trocam olhares sacanas e nem tentam flertar. É tudo bem formal e é capaz de rolar um segundo, terceiro convite e por aí vai com as coisas na mesma temperatura.

3) Vassalagem total - só que via mensagem


Vocês conversam pelo whats - ou qualquer rede social que seja - com uma frequência ok. Mas aí aquele moço belo, recatado e do lar mal espera qualquer "probleminha" seu pra mostrar que ele vai mover céus e terras pra ajudar você .

Exemplo bem bobo: ele pergunta o que você tá fazendo e você diz que tá esperando um táxi. Beleza. Só que o moço já tá ali mandando mensagem e dizendo que não precisa de táxi porque, se você quiser, ele te leva nas costas pra onde você precisar ir.

A imagem do Don Juan já tá desenhada e você pensa "é hoje" quando ele te chama de novo pro café. Mas chega lá e vocês só bebem um café mesmo. Ah, e comem pastel de nata.

4) De repente, não mais que de repente


E, assim, do nada, quando você acha que é só mais um café, esses moços vão do 0℃ ao 100℃. 

Daí você percebe que o boy realmente tá interessado na vida real e que não tava jogando conversa fora nas mensagens. É um fogo que nem dá pra saber de onde veio - e nem como surgiu. 

É uma surpresa daquela das boas. E o moço até parece do lar, só que não.

5) Leva tempo, mas dá pra acelerar


Se não ficou claro que a arte de flertar com um português leva tempo, que fique dito agora. 

No entanto, se você não tá afim de esperar até o terceiro ou décimo café pra dar um beijos na boca, aconselho tomar a iniciativa e partir pra ação. Tasca os beijos e é isso aí. Nem perca tempo fazendo a "pode vir que eu tô querendo", porque, pra fazer as coisas funcionarem com os tugas não adianta jogar os sutis sinais da sedução se você não for abrir o jogo com eles e verbalizar o que exatamente você quer. A dica aqui é partir pro abate. Desgostar eles não vão, garanto.