segunda-feira, 2 de maio de 2016

Intenção


Não posso comigo quando você está
E, ao mesmo tempo, eu quero e posso
E a menor possibilidade de algo nosso
É tão real que eu a quero prolongar

Mas a realidade é gerada pela imaginação
E somente uma das partes a concebe
E a nina, e a aconchega e a percebe
O suficiente para essa encenação

E no vacilo escasso de um momento
Eu ardo, eu queimo, eu tento
Na esperança fruto de uma ideia à toa

E essa sugestão que é ré e feto
Eu sufoco, eu afogo, eu veto
Mas a carrego comigo, da popa à proa