sábado, 26 de março de 2016

Pequenos causos dos dias passados

Muito café coado nesse tempo de ausência

Tanta coisa aconteceu desde o último post - inclusive o rascunho de alguns textos com pretensão de serem publicados aqui. E, nesse meio tempo, eu baixei a bola e, mais uma vez, releguei o blog ao patamar de 'bloguinho das coisinhas diárias'.

Pois é, ele será apenas isso. Um lugar de desabafos e experimentações ~compartilháveis~. Quanto aos devaneios mais sigilosos que aspiram à notoriedade (oi??) da internet, estes continuarão na minha mente e naquele cantinho que eu só eu sei onde é e que não almejo compartilhar com o mundo, brigada.

Na verdade, esse post não pretende instigar teorias conspiratórias, Longe disso. Ele é apenas uma tentativa de organizar os anseios. Os meus, óbvio.

A verdade é que eu tenho feito coisas - bastante coisas, até -, mas não posso ficar quieta porque me parece que a vida está vaga.

Sim, eu não tenho postado, mas tenho feito coisas do tipo:

- Gravar vídeos desfocados;
- Tentar registrar minimamente as manifestações políticas ao meu redor;
- Me expressar diante da câmera do celular dizendo algo intelectualmente relevante;
- Planejar, escrever, editar e diagramar uma revista literária;
- Ir às aulas e fazer grande parte dos meus trabalhos feat apresentações em dia;
- Ler (até que pra fevereiro e março eu li relativamente bem mais do que nos últimos anos);
- Atualizar um site com uma frequência razoável, embora questionável;
- Ir à festas de 18 anos;
- Deixar de assistir séries de forma involuntária.

Este, claro, é um resumo bem por cima, mas que caracteriza bem meus últimos meses.

Fora isso, levei aquela rasteira da internet quando, há poucos dias atrás, notei que um ser humano havia me mandado uma mensagem em dezembro do ano passado dizendo que havia gostado muito do meu blog e que precisava falar comigo.

Me sentindo o pior dos seres humanos pela demora em notar o e-mail, eu abri e mensagem e a li. O conteúdo, para meu desprazer, de nada destoava de várias mensagens que a mesma pessoa havia enviado para muitos outros blogs - inclusive com os mesmos elogios vazios. Um spamzinho tão comum nos dias atuais. Normal da vida.

Depois desse leve choque de realidade, resignei-me de vez ao meu lugar na blogosfera. Sem aspirações ou pretensões. Bora tocar o barco com um post de cada vez.

2 comentários:

  1. Andressa, adoro ler seus posts, embora tenha andado bem distante da blogosfera, fazendo tudo de forma meio automática. Sabe, eu fico muito triste quando recebo esse tipo de e-mail, pior ainda quando erram o nome do blog, deixando claro que haviam apenas copiado e colado de um e-mail que tinha sido destinado a outros. Mas ao menos isso te trouxe de volta, não deixe de postar algo, adoro ler teus desabafos! :)

    Grande beijo, Fran.

    ResponderExcluir