terça-feira, 31 de agosto de 2010

Por você, palavra...



O que eu faria se o fim chegasse já?
O que eu faria se não pudesse te encontrar?
Se não tivesse tocado tua última nota?
Se te encontrasse fria, cálida, morta?...

Eu correria os caminhos calculados,
Navegaria os mares variados.
Sopraria o vento instintivo,
Buscaria, descalça, o primitivo...

Pra te encontar fugindo horas
Pra te implorar 'não vá embora!'
Pra te ter senhora de mim
Pra ter teu começo teu meio e nunca teu fim...
.
.
.
Se quiser, o título deste poema também pode ser "Palavra Personificada"... Fica a seu critério...

Um comentário: