sábado, 14 de abril de 2018

Covilhã


É sempre no peito aquela saudade
Sempre na caminhada calma e paz
E sempre noite adentro o mesmo frio

Nenhum comentário:

Postar um comentário